9 de setembro de 2010

DELIRIOS

nao quero ser louco
nem um pouco
nem muito
pirado, desvairado
alucinado
por aquilo que
nao posso carregar...
vento forte
fecha meus olhos
como a brisa fria
de uma noite sombria...
luzes de farol
nada mais iluminam,
nem meus pensamentos
vagos, cansados, calados
de tanta decepcao
orgulho que brota
de um bobo coracao
cansado de amar.
sinfonia do olhar
cego, surdo
e que nao quer mais falar
caido, sofrido massacrado
pelo tempo vazio
que voce sempre deixou
com sua presenca...
outono folhas se vao
fica o frio, o vazio
os galhos nus
expostos,
sozinhos,
delirios de um
sonho com ponto final.
DOUGLAS MAGLIO

Um comentário:

Avlis disse...

"pelo tempo vazio
que voce sempre deixou
com sua presenca..."

Lindo isso Doug