23 de setembro de 2011

NAO ME DEIXE SO'

Essa agua que caminha nos meus bracos
purifica minha alma, junta os cacos,
que partiram dessa vida
sem amor.

Cada gota, sentimento,
quieto, mudo,
doce lagrima que cai em um segundo
um silencio, pouca luz
nao tem ninguem.

Te resgato de um coma tao profundo
em que ouves simplesmente,
nao te escuto,
nu oculto
pobre vida,
nada alem.

Eu procuro um verso a ti
lindo poema,
que desperte minha alma tao pequena,
nesse frio um simples toque
eterno amor.
Paraliza meus sentidos, meus ouvidos
vibracao de sua voz, nenhum gemido
seu olhar, muito carinho,
por favor.

Um comentário:

Vagner Figueiredo disse...

Isso saiu da sua cabeça?
Nossa, se for, não faça isso, é maldade para comigo.
:P