23 de setembro de 2009

ULTIMA GOTA

espremer 
gota a gota
o resto do tempo
que ainda ha para respirar
olhares distantes
num futuro que nao brilhara'...
num presente a desvendar
o misterio em busca do novo
do diferente.
o refazer de uma nova vida
sem sentido, pode ser
sem razao, jamais
emocao distante dos coracoes fracos, cansados
amedrontados
aliados de uma linha reta
sem olhares marcados,
com sorrisos forcados
vertendo lagrimas
gota a gota vindas
de uma dor...
sem vida,
sem cor,
sem nada.

Douglas Maglio

2 comentários:

LEANDRO LUZ disse...

sem olhares marcados,
sem sorrisos sinceros

Gostei. Gostei do seu comentário, gostei de você ter lido meu texto. Esse texto nasceu como nascem os rebentos: doendo. Que bom que alguém já leu e gostou. Obrigado
E gostei do que li, também. Me incomoda isso de olhares marcados e sorrisos sinceros, eu diria, maquiados... sorrisos maquiados, forçados...
abraço

Dr. Diario disse...

ae leandro mudei la olha so'!!! tambem achei q ficou melhor assim!!! valeu pela dica abracao